• Emily Bandeira

mestrado informal

Esse ano, enquanto navegava sobre os textos e reflexões de auto aprendizagem, me deparei com o perfil de um rapaz (que gostava do tema) onde havia uma espécie de currículo, com o seguinte trecho:


Doutorado Informal em Blablabla BlimBlimBlim (não, eu não lembro o que ele passou 4 anos estudando :B)



Porque o que me surpreendeu não foram os estudos que ele havia feito, mas a maneira como ele organizou a união dos estudos "Doutorado Informal". Eu adorei isso. Porque, afinal – não para a lógica produtivista, carreira profissional, sobrevivência capitalista – mas, afinal, o que importa não são os certificados que a gente tem mas as coisas que a gente aprende.


O certificado é como a foto de um momento, um registro muito gostoso de lembrar, fácil de compartilhar e de"demonstrar a factualidade da experiência", mas o que importa mesmo é ter tido o momento, ter tido presença no momento. Os estudos são a experiência real, bem menos românticos do que parecem, o esforço de compreender o mundo e de buscar ser compreendida.


Enfim. Sinto falta de estudar com outras pessoas e dentro de instituições. Mas também já aprendi com erros passados que se é pra estudar é pra ser com prazer sim, sentindo a motivação e a integração pessoal com o que é estudado vindo de dentro. Nessas de me tornar mais profissional e procurar novos espaços de atuação em que eu possa colaborar, penso que títulos e certificados possuem alguma significância.


Quero trabalhar com mulheres em todos os continentes, com vários temas e corações unidos (ela romântica com o trabalho? nada...). E, talvez, título naquilo aqui, naquilo acolá, possa demonstrar, principalmente, que tô levando a sério isso de querer ajudar o mundo, aprender, crescer, compartilhar. São espécies de selos da vida virtual à distância, onde precisamos confiar umas nas outras para conseguir trabalhar bem.


Daí, um mestrado ou algo assim. Sim. Mas onde? Como? Sobre o quê?

Um faniquito, semana passada (ou talvez retrasada) me fez pensar que poderia eu começar as coisas assim: como um mestrado informal.

Para que eu possa ir pensando e reunindo temas, materiais, propostas, discussões. Para que eu possa aprender sobre algumas coisas e teorias sobre os quais tenho estado curiosa.

Começou, de maneira despretensiosa e confiante, uma nova temporada de estudos :-)


Amor.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo